Como usar SSD como HD externo?

Como usar SSD como HD externo?

Tempo de leitura: 5 minutos

Pela praticidade que o SSD traz, muitos usuários acabam por usá-lo como um HD externo, podendo assim carregá-lo para onde for e ter seus arquivos sempre à mão. Aqui explicaremos a você como fazer uso desta facilidade.

Como usar SSD como HD externo?

O SSD é uma tecnologia criada para o armazenamento de arquivos em seu computador ou notebook, por não possuir partes móveis torna mais seguro o armazenamento. Esse dispositivo funciona em torno de um circuito integrado semicondutor, no qual as informações são arquivadas, diferente do sistema magnético usado pelos HDs comuns, que por possuir partes móveis, têm histórico de dar problema ao ser manuseado.

Vantagens e desvantagens de usar o SSD externo

Como os pendrives, os SSDs não dispõe de partes mecânicas e têm uma vida útil maior do que os HDs convencionais, mas a grande vantagem de usar um SSD é a sua velocidade, pois a taxa de leitura e gravação de um HD convencional pode chegar até 200 MB/s, é possível encontrar HD que chegam aos 500 MB/s. E alguns modelos de interface NVMe, como usado pelo MacBook Pro, podem chegar até 3GB/s, contudo para isso é necessário maior investimento, pois um SSD pode custar até 4 vezes o valor de um HD tradicional.

SSD interno ou externo, qual a melhor opção?

Os SSDs assim como HD externos podem ser facilmente levados de um lado para o outro, mas possuem a vantagem de serem mais leves e funcionais que os HDs comuns, além de serem mais rápidos e resistentes.

Para aproveitar o máximo de seu SSD externo, é necessário que se observe as entradas de seus computadores e notebooks, pois entradas antigas podem prejudicar a transferência de dados, deixando a ação mais lenta. Alguns modelos de SSD pedem por uma entrada USB 3.1, pois essa possui um limite de transferência de 500 MB/s.

Porém, o melhor seria usar uma entrada USB-C ou até um thunderbolt 3, pois assim o SSD chegaria a taxa de aproximadamente 1 GB/s.

Ainda existem modelos que possuem recursos extras, como encriptação de hardware, dando mais segurança a transferência de dados para o usuário, outros trazem um sistema de resfriamento interno, assim prometendo uma vida útil maior.

Existem modelos portáteis em que é possível encontrar o SSD integrado em computadores ou notebooks, trazendo assim um ganho de performance ao usuário, pois seus dados são gravados eletricamente em chips de memória flash e podem ser rapidamente acessados. Tem a possibilidade de o usuário mesmo instalar sistemas operacionais e jogos em seu SSD externo.

O custo-benefício do SSD externo

Além do transporte mais fácil, por ser resistente, o SSD consome menos energia de sua máquina, embora seja um pouco mais caro que os HDs.

O custo-benefício vai muito da utilização que usuário fará do SSD, seja ele interno ou externo, pós para os arquivos mais banais, e feitura de backup, um HD externo é uma opção mais simples e mais barata, mas se o usuário quiser jogar ou arquivar programas mais robustos, o SSD se torna uma ferramenta valiosa.

Ter um SSD externo ou interno é de grande valia para computadores e notebooks, pois trabalha mais rápido do que os HDs convencionais. Se o usuário pretende dar um upgrade em sua máquina, seja ela para trabalho ou jogos, não existe melhor opção que essa. Principalmente se o PC ou notebook forem usados por mais de uma pessoa.

Hoje, ter um SSD externo trará mais privacidade ao usuário, para que não acabe tendo suas informações vasculhadas por terceiros ou até perdida por acidente.

Lembre-se que por se tratar de um periférico externo, o SSD deve ser tratado com cuidado, mesmo sendo resistente, devemos evitar que ele caia no chão ou molhe, pois isso pode comprometer a integridade dos dados nele arquivados ou até mesmo fazer com que o aparelho pare de funcionar.

É possível comprar capas para que seu SSD esteja protegido destas e de outras complicações, assim você poderá usar seu dispositivo onde e quando quiser sem prejudicar a segurança dele.

A utilização do SSD externo traz grande comodidade para os arquivamentos de dados em grandes quantidades, assim como fotos, músicas, vídeos e jogos em geral, isso sem comprometer a velocidade, que é o carro chefe deste periférico. Além de manter o seu PC ou notebook mais leve fazendo com que ele funcione melhor, o SSD é uma opção que além de versátil traz grande segurança ao usuário, pois possui baixíssima taxa de erro, porém é sempre recomendado que faça um backup de suas informações na nuvem ou em outro dispositivo apenas por segurança.

Agora que você dispõe das informações referentes ao SSD externo, vamos ao passo a passo de como transformar seu SSD interno em externo.

Como fazer do meu SSD um HD externo?

Primeiramente, deve-se verificar se não existem dados arquivados, se houver, eles devem ser realocados para que suas informações não sejam perdidas. Se já fez isso, continuemos.

Será necessário abrir o compartimento e deslizar o SSD para seu interior, usando a entrada 3.0 que já está inclusa no kit de instalação SNA-B com o uso de um fecho. Alguns compartimentos podem pedir o uso de uma chave de fenda, mas também é possível fazer a instalação de um SSD M.2 em outro compartimento usando os conectores USB-A ou USB-C.

Caso seu computador ou notebook seja compatível com o USB-C lembre-se de utilizar o compartimento NVMe M.2.

Será necessário que o SSD esteja sem nenhum arquivo, sendo assim formate o periférico para poder usá-lo. Tendo feito isso, agora é possível utilizar seu SSD como uma unidade de memória externa.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *