Conheça os tipos de SSD

Tempo de leitura: 5 minutos

O Solid State Disk também conhecido como SSD é uma ferramenta de armazenamento que dispõe de algumas evoluções, comparado ao HD, logo, é uma tecnologia muito interessante e é válido o investimento.

É um disco de estado sólido e bem ágil, extremamente resistente e, em algumas, situações é menor que o HD convencional, portanto, é vantajoso, correto?

Contudo, atualmente, há uma variedade de SSD disponível no mercado, os tipos de SSD causam confusão, consequentemente, a decisão acaba sendo bem complicada.

Quer entender melhor quais são as categorias de SSD presentes no mercado, não é mesmo? Continue acompanhando esse artigo com atenção para ficar por dentro desse assunto.

Boa leitura!

1. SSD SATA

Entenda que quando o assunto é SSD SATA é importante saber que está sendo discutido sobre um tipo de comando que a indústria recorre para realizar a conexão entre:

• Placa-mãe;

• SSD;

• Processador.

Desta forma, acaba sendo um formato de conexão. SATA significa Serial Advanced Technology Attachment e deu origem às conexões usadas não apenas para o SSD, mas também para o HD.

Esse tipo de encaixe é interessante, dado que é realizado por um cabinho que, normalmente, acompanha a caixa da placa-mãe, conhecido como cabo SATA.

O SATA já sofreu diversas alterações e conseguiu ter diferentes versões, tais como:

• SATA I;

• SATA II;

• SATA III.

Atualmente, o SSD usa o padrão SATA III, justamente por esse motivo que pode alcançar até 600 MB/s.

2. SSD PCI Express

SSD PCI Expressa e SSD PCI são a mesma coisa. Se trata de modelos que usam de forma direta os barramentos de PCI Express da placa-mãe para realizar a transmissão de informações.

É importante compreender que o PCIe é uma espécie de porta para as placas de expansão, como as de rede, vídeos e som.

É comum que o SSD PCI seja bem mais ágil que o SSD SATA e há algumas alternativas que vão alcançar uma enorme velocidade, podendo variar de 2400 MB/s para leitura e 1200 MB/s na perspectiva de escrita.

Quem optar por esse tipo de SSD, deve entender que a instalação é realizada apenas quando a placa-mãe tem conexão x4, x8 ou x16 disponíveis.

3. mSATA

O mSATA foi criado com um único objetivo, proporcionar agilidade de SSD em dispositivos cujo espaço é bem reduzido, ou seja, para os ultrabooks e notebooks.

Os discos dessa categoria têm um visual muito enxuto e são bem parecidos com cartões pequenos.

Quando surgiram, a ideia era funcionar como um tipo de cache para o HD principal, recebendo a instalação do sistema operacional e de arquivos que receberam bastante acesso, além de comportar uma quantidade pequena de informações.

4. NVMe

É essencial entender algo que gera bastante confusão, o padrão NVMe, ou seja, Non Volatile Memory Express, não é um modelo de SSD, porém, é algo que vale à pena salientar, uma vez que se relaciona diretamente com o componente.

Compreenda que o NVMe é uma interface cujo objetivo é ampliar a performance do SSD, dado que os tempos de acesso aos arquivos acabam sendo bem pequenos.

Entenda que essa tecnologia é interessante, já que permite usar a velocidade do PCI Express para que o acesso ao hardware seja muito ágil.

É válido salientar que não é o foco desta função reduzir a agilidade de transferência e sim diminuir o tempo necessário para acontecer o acesso. Desta forma, a leitura de qualquer arquivo acaba sendo mais ágil.

Isso é algo que se dá, pois, o NVMe foi desenvolvido para ser possível aproveitar o acesso aleatório superior e isso é bastante recorrente nos SSDs.

É possível que esse tipo de tecnologia também marque presença em outras situações que não seja com os tipos de SSD, como em RRAM e MRAM.

5. M2

O tipo de SSD M2 é o mais recente entre as diferentes opções e o seu formato é vantajoso, pois, acaba sendo bem pequeno e leve quando comparado ao SSD da categoria SATA.

As medidas do M2 são de 22×80 mm e esse tipo recorda bastante a placa de memória. Saiba que esse modelo de SSD é o mais versátil entre as opções disponíveis, dado que poderá realizar a utilização do protocolo de comunicação do:

1. SATA III;

2. SSD tipo SATA;

3. HD.

Além disso, pode contar com o protocolo de comunicação NVMe e isso permite ser até 6 vezes mais veloz que o protocolo SATA III.

Enquanto o desempenho médio do protocolo de comunicação SATA III é apenas de 500 Mb, as taxas de transferências acabam chegando a mais de 3000 mbs seja para escrita, seja para leitura de arquivos.

Já a conectividade do SSD da categoria M2 é mais complexa, porém, ela pode acontecer de três maneiras, tudo depende de como é que será o encaixe da placa mãe.

A primeira forma é por meio da chave B com compatibilidade com o SATA III. Também há o encaixe da placa mãe de chave M que só é compatível com o PCIe NVMe.

No entanto, a solução mais ampla é o conector híbrido que permite receber tanto a chave B, como também a chave M.

Qual é o melhor tipo de SSD? Entenda

Essa é uma pergunta complexa, já que não há uma resposta ideal, você precisa considerar os fatores no momento de fazer esse investimento, ok?

De forma geral, é algo que vai depender da máquina do usuário e de qual é o propósito dessa compra. Sendo assim, é importante estabelecer a capacidade de armazenamento que vai ser necessário e, sobretudo, busque compreender qual é o tipo de SSD que se comporta em seu computador ou notebook.

Desta maneira, qualquer prejuízo vai ser evitado, não dá para correr o risco de investir em um SSD que não seja compatível ao equipamento, não é mesmo?

Encontre o SSD na BringIT!

Se você está procurando por SDD de alta qualidade ou notebook com eMMC, a BringIT proporciona as melhores alternativas para você. Praticamos excelente preço de mercado. A loja é especializada nesse tipo de solução e é aqui que você encontra tudo que precisa para o melhor desempenho da máquina.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *